quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Em Combate...

quinta-feira, 13 de outubro de 2011
Inspirado nos combates que travamos com quem mais amamos, dos anos desgastados, com sentimentos em pedaços, mutilados, em lutas sem glórias. Porque no final de tudo, não importa a vitória ou a derrota, se a tática de defesa e ataque, foram as únicas armas usadas em quem a gente supostamente ama, em quem a gente gosta! 

longrass-Colwyn Thomas

Te dedico minha alma,
a sua vitoria, enlaçada em
minha frustrada derrota.

Enraizada em sua gloria,
foram os meus melhores anos,
desiludido, em sua amarga vitória.

Em combate...

Oferecia as rosas sinceras
de meu peito prado,
dele, tu colhias espinhos
e murchos cravos.

Na paz...

Por medo começávamos
outra guerra, pela coragem,
mantínhamos, inundando
de lagrimas a terra.

A rendição...

Nunca existiu,
ao baixar da guarda, quando
menos se esperava nos
perguntávamos, o por que
do golpe que se desferiu.

No desfecho...

Por subestimar a sua fragilidade,
ser aniquilado por você, foi crucial,
sempre em palavras me desferindo,
o misericordioso e preciso golpe final.

Artur César 05/10/2011 04:20 am

8 comentários:

muriel disse...

Deu uma vontade de chorar.... Sofri junto em cada palavra.Mais o amor é assim .... Machuca.

Luna Sanchez disse...

Nesses casos a gente perde ganhando, ganha perdendo, tudo é quase misturado, não se tem exata noção de começos e fins, na minha opinião.

=**

Anna Mª Amorim de Farias CRP06/39859-9 disse...

Artur,

Um dos aspecto mais difícil de amar é que nos tornamos vulneráveis.
O outro pode morrer, nos abandonar, nos trair e ainda há as dificuldades do cotidiano, pequenos esquecimentos, coisas que podem ser ditas ou feitas e nos machuca, fere. O que fazemos? As x nos defendemos, atacando. Há guerra, fria ou não. Dor. Morte do amor ou sonhos, ou ambos.

Bela construção. LINDO poema. Me deu vontade de escrever sobre o tema.

Deixei resposta a teu comentário no meu BLOG Psi.

Beijos,

Anna Amorim

Srtª Vihh disse...

Puxa, obrigada pela visita.
Não apenas retribuindo, mas elogiando o texto, gostei mesmo, que habilidade tremenda, deu até arrepio ao ler! bjos.

Moon disse...

Tocou minha Alma!
Parabéns Poeta!!!

Solange disse...

retribuindo sua visita em meu parole..

na paz ou na guerra...sempre falamos de amor.
lindo texto..
sempre estarei por aqui..

bjs.Sol

Milene Lima disse...

Costumo dizer, simploriamente, que não compreendo de poesia, seus estilos, suas escolas, enfim. Mas eu as sinto. Eu as amo.

Eu amei a sua poesia de amor perdido.
Beijo.

*Bela Poeta disse...

Como diz uma música da Adele, as vezes o amor dura, mas as vezes fere também. Buscamos intensamente vivê-lo e quando enfim o achamos ficamos tão perdidos - dentro e fora de nós mesmos - que já não sabemos como agir, como viver.

Lindo Post!
Bjss,
*Bela

Postar um comentário

 
Essa Parte de Mim... © 2008. Design by Pocket